Essa lei

Com o poema “Essa lei”, de minha autoria, começo a dar voz à leitura de escritos vários — um propósito que vinha há tempos acalentando e que agora se inaugura. Desenho do ar. Do chão. Do som. Bora lá, se acheguem…

ESSA LEI
— Sílvio Diogo

Essa lei me escapa.
Ela confunde.
Essa lei escolhe.
Essa lei encolhe.
Ela quase some.
Não, nela não há desespero,
há/à espera:
de que a gente esqueça,
de que a gente espere
que ela dê as caras,
que ela dê as cartas.
Essa lei pacífica
bate continência.
Ela é fazendária.
Essa lei arrenda.
Ela fala em público!
Essa lei assombra.
É o degrau de cima.
Essa lei assola.
Essa lei assusta.
Ela desacorda.
Essa lei sintética
vira o nosso Juízo.

*

Foto: Kika Antunes

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s