Calhe, grafia, cale

A trabalhadora equipe do Ateliê Tipográfico — que faz parte do Centro Editorial e Gráfico da Universidade Federal de Goiás (Cegraf/UFG), coordenado pelo professor Antón C. Quintela —, acabou de imprimir, de forma artesanal, a antologia Calhe, grafia, cale, com vinte poemas de minha autoria.

Fiquei muito feliz com a edição. Foi uma revisita a escritos originalmente publicados nos livros Respingos e clamores (2005) e Desenho do chão (2008), ambos lançados pelas edições Toró, em São Paulo, nos tempos trovejantes do movimento de literatura periférica, que floresceu na rua, na calçada, no bar, na fuga-procura por novos horizontes, no quintal, na sombra, na escola, na praça, no calor, na madrugada, no abraço, na pergunta, na amizade, no amor. Onde ali no coletivo tanto aprendi e onde também tive a oportunidade do erro e da errância.

Agora os poemas, do manuscrito à tipografia, encontram nova disposição, alguma palavra que se trocou por outra, sem que se perdesse o aspecto aprendiz-tateante de uma linguagem que à época se tentava escutar e se ousava tocar.

Os exemplares de Calhe, grafia, cale podem ser encomendados diretamente ao Cegraf/UFG, pelo e-mail: <estoque.cegraf@gmail.com>. (Valor: 20,00 reais. Formas de pagamento: cartão de crédito ou boleto bancário.)

Também podem ser adquiridos pelo sítio da Editora da UFG (todo o catálogo está com desconto de 50%), neste link.

Ou ainda nas livrarias físicas da UFG, por este link.

Anúncios